Texto: “Em torno de uma educação menor” por Silvio Gallo

- No deserto de nossas escolas, na solidão sem fim mas superpovoada – de nossas salas de aula não seremos, cada um de nós, cães e ratos cavando nossos buracos?

- Mais importante do que anunciar o futuro, parece ser produzir cotidianamente o presente, para possibilitar o futuro;

 - O professor-profeta é alguém que do alto de sua sabedoria diz aos outros o que deve ser feito, anuncia as possibilidades e mostra aos outros um mundo novo;

- O professor-militante é aquele que de seu próprio deserto, opera ações de transformação, por mínimas que sejam. Ele procura viver as situações e dentro dessas situações produzir a possibilidade do novo. Nesse sentido, o professor seria aquele que procura viver a miséria do mundo, a miséria de seus alunos, seja ela qual for: miséria social, cultural, ética, de valores;

- A chave da ação militante é uma construção coletiva: produz condições de superação da miséria, com possibilidades de libertação;

- A educação maior é aquela dos planos decenais, das políticas públicas de educação, dos parâmetros e diretrizes, da LDB, é a educação dos grandes mapas e projetos. Procura constituir-se como uma imensa máquina de controle;

- Uma educação menor é um ato de revolta e de resistência. Sala de aula como espaço a partir do qual traçamos nossas estratégias, estabelecemos nossa militância, produzindo um presente e um futuro aquém ou além de qualquer política educacional. Uma educação menor é um ato de singularização e de militância. A educação menor age a partir do deserto da sala de aula, faz emergir possibilidades que escapem a qualquer controle; 

- A educação menor é rizomática, segmentada, fragmentária, não está preocupada com a instauração de nenhuma falsa totalidade: quer viabilizar conexões e conexões sempre novas. Fazer rizoma com os alunos, viabilizar rizoma entre os alunos, fazer rizomas com projetos de outros professores. Não há a possibilidade de atos solitários, isolados; toda ação implicará em muitos indivíduos. Toda singularização será, ao mesmo tempo, singularização coletiva;

- A educação menor é uma aposta nas multilicidades, que rizomaticamente se conectam e interconectam, gerando novas multiplicidades. Todo valor é coletivo. Todo fracasso também. O ativismo militante de uma educação menor não está alheio a riscos.

 

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: